as notícias e a opinião dos colunistas sobre o mercado sertanejo
Sertanejo News

Jeann e Julio – Um dos três DVD’s mais bonitos lançados do sertanejo ano passado na nossa opinião

Maurício Ferigato Notícias 4 de fevereiro de 2019

Jeann e Julio – Um dos três DVD’s mais bonitos lançados do sertanejo ano passado na nossa opinião

Que 2018 foi o ano dos DVD’s intimistas no mercado sertanejo todos nós vimos, e entre um e outro projeto dos artistas nacionais muitas idéias foram surgindo e transformando o que era antes em DVD’s gravados em shows em projetos agora que foram todos gravados praticamente em segredo, e em silêncio sem alarmar os amantes da música e atrair a atenção somente para os lançamentos e não para o momento das gravações.

Entre os projetos que fizeram nossos olhos brilharem ficou “O Chamado da Floresta” de Fernando e Sorocaba, que foi o mais lindo disparado do mercado e com uma direção de fotografia sensacional aliada a efeitos especiais de cores em 1° lugar.

Logo após podemos destacar “O Menos É Mais” de Henrique e Juliano, gravado em uma fazenda com o palco em formato 360° sendo o grande destaque do cenário aliado com carros antigos.

Mas a grande surpresa para nós foi a dupla paranaense Jeann e Júlio que tem uma carreira consolidada no estado do Paraná e percorre muito bem os estados de Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso e são nomes conhecidos do público e que bateram na trave com o sucesso “Isso Cê Num Conta” que depois foi regravado por Bruno e Marrone depois que a música já era sucesso em todo o sul do Brasil e estava subindo mapa afora.

A dupla gravou o “Ao Vivo No Castelo”, um dvd no Castelo Eldorado construído pelo descendente de alemão João Henrique Stalhk no período da Segunda Guerra Mundial (entre 1942 e 1947) em um lugar, que na década de 40 era quase inacessível, pois ficava em uma grande mata nativa e dentro da fazenda da família Stalk: a Fazenda República do Eldorado. A fazenda tinha como principal recursos econômicos, a extração de madeira. Em face a sua localidade (quase que escondida), por seus proprietários serem descendentes de alemães e a construção possuir luxos europeus, além de ocorrer num período de guerra e pós-guerra, especulou-se, por longos anos, que o local se destinaria a receber importantes nazistas em fuga da Alemanha e aí diz a lenda que Adolf Hitler chegou a hospedar-se no Castelo em um fim de semana todo, usando como seu esconderijo inclusive.

Hoje o Castelo tem sua importância arquitetônica e cultural que foram mantidos pela família Stalhk e atualmente a edificação é considerada um patrimônio histórico e um dos bens culturais do resgata da história da imigração alemã para o Brasil.

E foi ali que Jeann e Julio gravaram em um cenário lindo do lado de fora praticamente trabalhando somente com luzes o projeto e que trouxe as faixas “Quando Eu Passo A Mão” com Jads e Jadson, “Beba Beba” com Thaeme e Thiago e “Fala Na Minha Cama” com Naiara Azevedo além de seus sucessos já conhecidos do público como “Quatro Estações” que todos conheciam na voz de Hugo Pena e Gabriel mas que é uma composição de Júlio (o primeira voz da dupla) com “Choro, Imploro”, “Creme do Verão”, “Baladeira” entre outras.

Mas o projeto poderia ter sido muito mais trabalhado e a dupla errou na minha opinião de pouco trabalhar esse projeto, que está frente a frente com os projetos de maior destaque nacional do ano passado.

O repertório estava bem distribuído com ótimas músicas e que poderia ter ido muito mais além até porque depois os próprios Jads e Jadson regravaram a “Quando Eu Passo A Mão” duas vezes inclusive (uma versão com a dupla só e outra com a participação de João Carreiro), e até Thaeme e Thiago regravaram “Beba Beba” no seu último dvd.

Está aí uma das provas que Jeann e Júlio deveriam ter tido mais atenção com o “Ao Vivo No Castelo” e além dessas músicas citadas até agora ainda poderiam ter incluído no repertório “Isso Cê Num Conta”, “Besteirinha” entre as várias músicas compostas por Júlio Camargo que fazem sucesso na voz de vários artistas nacionais. O projeto tinha tudo para ser um sucesso nacional, e ainda aproveitava o momento que a dupla comemorava 10 anos de carreira.

Agora Jeann e Júlio estão aos poucos lançando o projeto “Gold 12 Anos” novamente com visual intimista e canções inéditas, mas o “Ao Vivo No Castelo” era o glamour europeu chegando na história da dupla.

Não podemos culpar as escolhas da equipe Jeann e Júlio porque precisamos deixar o tempo passar e ver o que o mercado sertanejo nos apresentava de novidades para ver que esse projeto era sensacional, e o que me deixa mais tranquilo em escrever essa opinião pessoal minha é que eu estive com a dupla e já falei tudo isso pessoalmente a eles todos, então minha opinião não é segredo para Jeann e Júlio e também tenho orgulho de dizer que esses 12 anos da carreira da dupla é recheado de sucessos que o Brasil já conhece.

Para quem não assistiu vou deixar aqui um dos vídeos da música que para mim era a música do DVD e que vocês podem analisar toda a fotografia do “Ao Vivo No Castelo”:

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *