as notícias e a opinião dos colunistas sobre o mercado sertanejo
Sertanejo News

O Sertanejo no Norte e Nordeste do país, a parte de cima do Brasil

Arthur Fernando Camões Colunistas 30 de novembro de 2018

O Sertanejo no Norte e Nordeste do país, a parte de cima do Brasil

O norte e nordeste do país, antes apenas objeto de artistas estourados nacionalmente e já com nível de consagração altíssimo, hoje são procurados e abrem espaços pra galera nova que repercute no cenário nacional da música.

A realidade é que hoje os artistas olham os caminhos do norte e nordeste, até muito antes de pensar em sucesso nacional, pois de fato essas regiões estão sendo carros-chefe de trabalhos feitos por muitos artistas na atualidade.

O norte e nordeste é imenso, porém existem regiões que são verdadeiras minas de dinheiro e sucesso. Hoje posso falar com propriedade de Maranhão, Ceará e o Pará, por morar na região. Aqui existe uma proximidade grande em matéria de produtores e vendedores de shows e tudo acontece em cadeia. Um artista vem em alguma cidade e esgota tudo, logo isso facilmente reverbera entre nós empresários de música e todos que fazem os shows acontecerem nas regiões e os contratos vão surgindo em cadeia, numa velocidade impressionante.

Se alguém me perguntar o que caracteriza o mercado norte e nordeste hoje, irei responder que absolutamente estilos que se aproximem do que o povo gosta e artistas que sejam o que o povo gosta é claro. O norte e nordeste gosta de dançar, gosta de arrochar, gosta de falar de amor, de saudade e gosta de gente humilde. As pessoas amam artistas que conseguem falar a linguagem do povo, seja falando de amor lentamente, acelerado, seja falando de chifre, cachaça ou congeneres e que absolutamente não se distanciam disso. Já vi alguns artistas que são sucesso no norte e nordeste do país cantando com um teclado, voz, guitarra e sax, mas foi depois de algum tempo que surgiram bandas cheios de frescura, com sapato alto e é nessa hora que o mercado cai.

É muito difícil se mudar a marca e impressão gerada, se você estourar de determinado jeito, é daquele jeito que o povo quer te amar sempre. Humildade sempre. É importante analisar bem de qual forma se vai aparecer, com qual perfil se vai gerar esse vínculo com o público, querer mudar tudo depois não é simples.

O mercado do norte e nordeste se define pela forma menos fresca que você atua, até mesmo porque os produtores estão fugindo disso e de problemas com artistas ou equipes dessa natureza e nenhuma flexibilidade determina muita coisa por aqui, fora ao fato da extrema relação fiel que existe aqui quando o povo gosta do artista.

Há uma certa idolatria as vezes, idolatria no sentido mais positivo possível, do tipo amar os artistas verdadeiramente, fazer propaganda dos mesmos. O boca a boca aqui é muito forte. Muito mesmo!

Existem épocas fortes no nordeste como o “Carnaval”, as “Festas de São João”, as festas de fim de ano e de verdade a palavra crise meio que não chega tanto em matéria de eventos. Logicamente que existem períodos que tem uma baixa natural, porém nada acentuado; ademais, o povo quando abraça um artista no norte e nordeste, ninguém segura. É casa cheia e sucesso absoluto sempre.

Se você pegar artistas como Zezé di Camargo e Luciano, Bruno e Marrone entre outros já considerados medalhões na música, todos têm o seu público cativo no nordeste e isso já acontece há muitos anos e detalhe, os cachês de anos atrás não estão tão distantes assim dos atuais com eles, pois sabem que aqui não depende nem se tem uma música estourada atualmente, em se tratando de artistas consagrados, o próprio sucesso de outrora lota os lugares. O mesmo vem acontecendo  com a galera nova que vem chegando e não posso deixar de falar de Marília Mendonça que eu chamo de “Rainha do sertanejo no Nordeste” e o que ela conseguiu no Norte e Nordeste em tão pouco tempo de trabalho é grandioso, estupendo mesmo. Quem estuda um pouco de mercado da música sabe que ela conseguiu feitos meteóricos por aqui. Em outra matéria sobre o que bomba aqui falarei mais dela.

Pude acompanhar o mercado sertanejo mudar no nordeste. Hoje faz uma concorrência forte ao forró aqui dentro de nossa própria casa e o resultado disso foi absolutamente salutar, pois o forró que já vinha extremamente modernizado e profissional, se tornou mais ainda e essa importância do forró nesse mercado sertanejo do nordeste é imane. Hoje vemos o que Aviões do Forró, Wesley Safadão, Márcia Fellipe entre outros conseguiram ao longo do tempo no país.

Hoje o país conhece essas bandas, e artistas, mas nós aqui já acompanhamos essa luta de muito tempo e não podemos negar que a relação forró/sertanejo com o mercado centro do país, beneficiou demais pra esse crescimento, assim como o sertanejo não sobrevive sem o forró na região. Sem sombra de dúvidas, o sertanejo precisa de forró no nordeste, principalmente na execução dos sucessos. O forró meio que serve de termômetro pra isso. Se você está passando em alguma cidade na rua e ouve um paredão com uma banda de forró tocando uma música sertaneja, isso já é uma das premissas básicas que a música ou já chegou forte ou caminha pra chegar muito forte.

Falando do mercado sertanejo local, ou seja, artistas sertanejos que moram no norte e nordeste, verdadeiramente as coisas não são fáceis como muitos atualmente imaginam, pra quem mora pras bandas de cima. Motivos são vários. Dentre os quais o mais básico de todos, a célebre frase que “Santo de Casa como em todo lugar não faz milagre”. o que acaba na verdade artistas sertanejos locais fazem um elo entre o que toca no eixo centro sul do país e que chegou aqui.

Ainda existe a grande desvalorização das pessoas com seus próprios artistas de suas cidades. Pessoas pagam ingressos elevados para ver artistas de fora e muitas vezes não quer pagar nem nada pra ver um artista sertanejo local e no forró também e só resta pra essa galera sair daqui de fato. Alguns lugares das regiões locais o sertanejo caminha bem e em outros nem existe de fato, o que resta pra os artistas locais são manter suas agendas e não são muitos os lugares pra se tocar dependendo da cidade, mas é como se no fundo os artistas fossem reprodutores do que acontece no cenário e até cantar música própria torna-se difícil.

Logicamente que nem tudo segue a regra, pois existem artistas que conseguem notoriedade grande nos Estados, como por exemplo a dupla Luis Marcelo e Gabriel em Fortaleza, pra muitos e pra mim também estão no Top Three do Nordeste, bem como a dupla Pedro e Benício também da capital cearense e que inclusive de alguma forma já toca em outras regiões do Brasil.

Ambos conseguem tocar muito, com agenda cheia e cantar em vários estados do eixo Nordeste/Norte e até no Centro Sul do país e muitos apostam que vão ainda dar muitos frutos nacionalmente, mas são apenas exceções no universo de vários artistas locais que vivem o dilema de sair ou não sair do Norte e Nordeste pra tentar um futuro em outra região do país, pois simplesmente estão muito longe de tudo e de fato estão.

Temos grandes escritórios, produtores, estúdios, porém a questão distancia geográfica dificulta. Tudo que um artista pensa em fazer fora daqui, brincando leva muito dinheiro, sendo passagem ou combustível uma grande parte disso.

A realidade é que musicalmente o Nordeste chegou ainda mais forte no cenário nacional da música sertaneja. 

Dentre algumas dicas que eu poderia deixar pra quem sonha com esse mercado, a primeira é: “Não queira ser pedante no Nordeste”, (apesar de toda máfia que existe em todo canto, os produtores até os concorrentes são coorporativos). Todo mundo pensa no seu, mas também é preciso saber chegar, não chegue achando que você ou seu artista já é uma explosão mundial e que você pode dizer e desdizer, pois assim como os profissionais podem te fazer crescer, podem te fazer cair. Aqui, gentileza gera fidelidade.

Outra coisa que poderia dizer também é da importância de ter material nos estados, muitos artistas já estariam bem melhores e mais estabelecidos no nordeste se acelerassem a chegada de material por aqui, o Norte e Nordeste gosta de “CD” mesmo, gosta de ouvir, gostar de presentear, gosta de mostrar pra alguém, gosta de falar da música do artista, gosta de recomendar. Logo é interessante que o material chegue e que sobretudo chegue nas mãos certas. Tem mais coisas importantes, mas em outra oportunidade digo mais sobre as particularidades comerciais daqui.

Em breve irei escrever sobre o que verdadeiramente está bombando de artistas nacionais no mercado do norte e nordeste. Vejo muita especulação no centro sul do país em relação a isso, de gente baseada no ouvi falar e me disseram, mas por ser daqui posso falar com propriedade o que tá tocando, o que tá bombando, o que tá fechando contrato, o que tá crescendo e sobretudo tirar algumas místicas.

Tem muita coisa por aqui que já caiu e as pessoas imaginam que ainda bombam, como tem também muita coisa que chegou forte demais e muita gente no sertanejo nacional nem sabe.

O norte e nordeste são sim fatores preponderantes hoje na carreira de um artista, primeiro pela sua dimensão geográfica, pois conquistar essas duas regiões é conquistar boa parte do país e segundo pela sua questão comercial. Existem muitas cidades, muito dinheiro e muito prestígio a ser conquistado por aqui e espero que a maioria dos artistas cheguem forte aos nossos terrenos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *