as notícias e a opinião dos colunistas sobre o mercado sertanejo
Sertanejo News

A diferença entre a música de machucar, sofrer ou chorar, quem faz a música de chorar ?

Colunistas Maurício Ferigato 30 de março de 2020

A diferença entre a música de machucar, sofrer ou chorar, quem faz a música de chorar ?

Em tempos de arrumarmos uma expressão que defina em uma só palavra tudo o que a gente quer que o próximo entenda, muitas coisas fazer a gente pensar e repensar, diferente dos anos 80 e 90 aonde procurávamos o que a música queria passar por completo, enquanto que hoje saímos procurando uma frase que se adapte na vida da gente não é?

Poetas como Renato Russo, Cazuza, Belchior, Herbert Vianna, Nando Reis, entre outros não deverão mais aparecer com tanta facilidade igual era, já muito pela educação que crescíamos e hoje os valores são totalmente outros na forma de se educar um jovem. E isso também se reproduziu por muito tempo na música sertaneja, na música caipira e etc. As músicas tinham início, meio e fim e hoje raramente podemos dividi-las assim.

O nosso título reproduz uma divisão entre música de machucar, e nessas podemos dizer que são aquelas canções que nos fazem repensar algo que aconteceu em nossa vida, as nossas experiências reais e que erramos ao tomar nossas decisões finais, essas são as músicas de machucar que na grande maioria são as identidades principais de artistas como João Neto e Frederico, George Henrique e Rodrigo, Bruno e Marrone, entre alguns dos nomes que lembramos de imediato.

As músicas de sofrer é a grande identidade dos artistas que estão no topo de todas as paradas musicais entre várias plataformas no momento e destacam-se Jorge e Mateus, Henrique e Juliano, Zé Neto e Cristiano, Maiara e Maraísa, Matheus e Kauan, Israel e Rodolffo, entre outros. A identidade musical dessa turma é uma mistura de sentimentos, que muitas vezes servem até como auto ajuda, mostrando que erramos lá atrás mas ainda há uma chance de construir uma nova história, dizem que é para ouvir bebendo, mas eu não acho isso, é muito mais para você ouvir, cantar e pensar em alguma pessoa seja ela do passado, do presente ou até do futuro.

Agora tem uma categoria que uma artista anda nadando a braçadas sozinha e ainda intitulam ela como “A Rainha da Sofrência”, mas não é nada disso, é muito mais que isso que a Marília Mendonça faz.

A moça faz a música de tudo ao mesmo tempo como machucar, sofrer ou chorar, ela tem uma força tão grande de fazer mesmo o público chorar cantando as músicas, mostrando que o sofrimento é grande e machucou demais. E por que ela consegue fazer isso?

É simples, ela não mede palavras para dizer o que quer e as músicas dela tem um começo, um meio e um fim, fazendo com que a gente se mantenha entretido desde a primeira linha da canção, e já sabemos que de alguma forma iremos sofrer, seja no início, meio ou fim. E as histórias são realmente do cotidiano mais próximo de todos nós.

Diante de tudo isso conseguimos notar que os tempos mudaram, a linguagem usada hoje em dia é bem diferente do que usávamos anos atrás e isso foi uma reinvenção necessária dentro da música, mas e o que vem num futuro próximo?

Vocês apostariam em algo ???

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *